Governo mantém funcionamento do Prato Cidadão para atender pessoas em situação de vulnerabilidade

Ticker

6/recent/ticker-posts

Header Ads Widget

Governo mantém funcionamento do Prato Cidadão para atender pessoas em situação de vulnerabilidade



O bem-estar das pessoas em situação de vulnerabilidade social é uma das principais preocupações do Governo do Amazonas, que tem garantido o funcionamento dos restaurantes e cozinhas populares do projeto Prato Cidadão, mesmo durante o período de restrições adotadas pelo estado para conter a disseminação da Covid-19. O atendimento nas sete unidades, espalhadas por todas as zonas da capital, acontece de segunda a sexta-feira, das 11h às 13h, para retirada da refeição no valor simbólico de R$ 1.

Os restaurantes populares são coordenados pelo Governo, por meio da Secretaria de Assistência Social (Seas). A gerente de Segurança Alimentar da Seas, Kaliny Alves, explica como tem funcionado o fluxo nos restaurantes e cozinhas populares coordenados pelo órgão para atender a população mais vulnerável na cidade de Manaus.

“Os restaurantes estão funcionando em forma de entrega de refeições. Os nossos usuários fazem a compra no valor de R$ 1 nos restaurantes populares, no horário das 8h até o limite de senhas ofertadas, e então eles vêm depois buscar a refeição, já embalada em embalagens térmicas, com segurança e higiene, para que possam fazer essas refeições no seu domicílio”, destacou.

Para Elizer da Silva, que faz a retirada diária de marmitas para ele e seu irmão, na unidade do Prato Cidadão localizada na avenida Joaquim Nabuco, bairro Centro, o projeto é importante para apoiar quem mais precisa nesse momento. “Todos os dias eu venho aqui para retirar a alimentação do dia a dia. É de muita importância. É de grande necessidade a gente pegar essa alimentação todos os dias”, relatou.

Protocolos de segurança – O Governo tem atuado para garantir que a população possa fazer a retirada da refeição em segurança, protegendo também os envolvidos no projeto com uso de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) e cumprindo os protocolos estabelecidos pelas autoridades da área de saúde.



“Em toda refeição já é feito um controle sanitário, assim como nossos colaboradores, usando máscaras, que são todos os componentes de EPI, máscara, capote, avental, toucas. Tudo para o controle e segurança não só dos usuários como dos colaboradores”, esclareceu Kaliny Alves.

Projeto – O Prato Cidadão é um projeto que já atende a população do estado há anos com o fornecimento de refeições de baixo custo. “Temos sete unidades de Equipamentos Públicos de Segurança Alimentar, que são quatro restaurantes populares e três cozinhas populares. Nas cozinhas a gente fornece sopa de forma gratuita, e nos restaurantes nós temos a refeição completa no valor de R$ 1”, disse a gerente de Segurança Alimentar.

“É muito importante em relação não somente às pessoas que estão se localizando aqui por perto, mas também quanto às pessoas que vêm de longe. Querendo ou não é uma refeição acessível, independente dos moradores aqui perto, de condições financeiras”, concluiu Kennia Torres, que trabalha nas proximidades do bairro Centro e costuma fazer a retirada de refeições para ela no local.

FOTOS: Emerson Martinz

Postar um comentário

0 Comentários