Conecte-se Conosco

Amazonas

No fim de semana, 32 bares são fechados por descumprir medidas de prevenção da Covid-19 em Manaus

Publicado

em


Coordenada pela Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM), a Central Integrada de Fiscalização (CIF) fechou 32 bares, no final de semana, em Manaus, por descumprimento às medidas de prevenção da Covid-19, previstas em decreto governamental. Entre as principais violações, estão o funcionamento além do horário permitido, ausência de medidas sanitárias e aglomerações.

Ao todo, 16 pessoas foram presas nas ações por crime de desobediência a medidas sanitárias, previsto no Código Penal Brasileiro. Em um dos casos, registrado na noite de domingo (14/03), no bairro Dom Pedro, zona centro-oeste, um local onde funcionava uma suposta casa de prostituição, foi vistoriado após denúncia e 11 pessoas foram conduzidas para prestar esclarecimentos.

Uma festa clandestina, com mais de 200 pessoas, e um bar, com mais de 100, foram flagrados durante a ação. Na noite de sábado, policiais militares da 6ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom) encerraram uma festa clandestina no bairro Manoa, zona norte, com cerca de 60 pessoas. No domingo (14/03), uma aglomeração de rua (rolezinho) com mais de mil pessoas foi encerrado no Novo Aleixo, também na zona norte.

Coordenada pela Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM), a CIF é composta por agentes de órgãos de segurança pública e fiscalização municipal e estadual. Entre a sexta-feira (12/03) e a madrugada de domingo (14/03), eles vistoriaram 81 locais alvos de denúncias da população, através do serviço emergencial 190.

Na sexta-feira (12/03), no conjunto Eldorado, bairro Parque Dez, zona centro-sul, dois estabelecimentos foram fechados por descumprimento do decreto; e autuados pela Vigilância Sanitária Municipal (Visa Manaus) por funcionar em horário não permitido e aglomeração de pessoas.

Durante a ação, o Glorioso Bar, localizado no bairro Presidente Vargas, zona sul, foi fechado e autuado pelo Instituto Estadual de Defesa do Consumidor (Procon-AM).

Já na tarde de sábado, só na área conhecida como “Calçadão da Suframa”, no bairro Distrito Industrial, zona sul de Manaus, 13 bares foram fechados pelos agentes da CIF pelo descumprimento de diversas regras previstas no decreto, firmado com os representantes da categoria. O estabelecimento Sr. Beef foi autuado pela Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM), pois estava com aglomeração de pessoas, sem obedecer ao distanciamento entre as mesas.

Ainda durante as vistorias, pela tarde, foram fechados o Boteco Lobo Solitário, o Jambeiro Bar, Bar da Loba, Boteco do Cavalo, Mangueira’s Bar e o Boteco do Edu, na região do Centro e Educandos. No fim da tarde, uma festa clandestina com mais de 200 pessoas foi encerrada pela CIF, na avenida das Torres, zona centro-sul. O proprietário foi preso.

Na Avenida Itaúba, bairro Jorge Teixeira, zona leste, o Boteco da Morena foi fechado e autuado pelo Corpo de Bombeiros por não possuir documentos obrigatórios, ter extintores de incêndio vencidos e estrutura não adequada para o público.

Durante as fiscalizações da noite, os estabelecimentos Empório Beer, Amazonas Steakhouse e Motorcycle Pub Garagem foram notificados por estarem funcionando após o horário estipulado pelo decreto, apresentarem aglomeração de pessoas e não possuírem os documentos obrigatórios.

Casa de prostituição – No domingo (15/03), no bairro Dom Pedro, zona centro-oeste, 11 pessoas foram detidas em uma festa na Rua Mem de Sá. A residência estava funcionando como uma boate e bar, descumprindo o código sanitário. Um inquérito por prostituição também foi aberto. Os infratores foram conduzidos à Central de Flagrantes da Delegacia Geral.

A CIF conta com a participação das polícias Civil e Militar, Corpo de Bombeiros, FVS-AM, Vigilância Sanitária Municipal (Visa Manaus), Instituto de Defesa do Consumidor (Procon-AM), Ouvidoria da Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM) e o Instituto Municipal de Mobilidade Urbana (IMMU).

A CIF acontece todos os finais de semana com o objetivo de fiscalizar estabelecimentos comerciais, verificando se o decreto governamental está sendo cumprido. As apurações ocorrem a partir das denúncias ao 190, o serviço emergencial do Centro Integrado de Operações de Segurança (Ciops).

Fonte: Governo AM

Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *