Ataques violentos contra Bolsonaro aumentam: É fácil identificar o motivo... Tudo não passa de 'birra pelo desmame'

Ticker

6/recent/ticker-posts

Header Ads Widget

Ataques violentos contra Bolsonaro aumentam: É fácil identificar o motivo... Tudo não passa de 'birra pelo desmame'



O colunistas do Portal Jornal da Cidade Online, Felipe Fiamenghi apontou sua "metralhadora giratória" contra a chama Grande Imprensa, ocupada por jornalistas de esquerda e torcem para o Brasil dar errado para pavimentar a volta de bandidos, que facilitem a "mamata" aos cofres públicos.

Leia abaixo:

Ataques violentos contra Bolsonaro aumentam: É fácil identificar o motivo... Tudo não passa de “birra pelo desmame”

Estava estranhando, nos últimos dias, a violência dos ataques contra o presidente. É fato que a imprensa nunca foi simpática com Bolsonaro, mas está enlouquecida.

Noblat usou sua coluna para republicar um artigo da Mary Zaidan, chamando-o de psicopata e dizendo que deveria ser judicialmente interditado.

Kertzman foi ainda mais longe e, em uma das maiores revistas nacionais, publicou uma matéria militante, que já tinha palavra de baixo calão no título, acusando-o de homicídio e cumplicidade com milícias.

Outras vários "artigos" do mesmo tipo, todas assinados pelas figuras já conhecidas da oposição, pipocaram nos mais diversos veículos de mídia.

Revisando os acontecimentos da semana, me deparo com essa notícia, que tinha deixado passar batida. Tudo ficou límpido como água pura. A gritaria é apenas birra pelo desmame.

Há menos de um mês, estes mesmos "formadores de opinião" criticaram duramente o governo, por causa dos decretos sobre os CACs (Caçadores, atiradores e colecionadores), dizendo que "O Brasil não precisa de armas, mas de vacinas"; o que nem faz sentido, pois compramos armas com dinheiro próprio. Agora, então, não deveriam estar "aplaudindo" o governo, por estar cortando gastos desnecessários no meio da pandemia?

Oras, se não pode haver aglomeração, qual o sentido de liberar verbas para produções culturais? Artistas e intelectuais, afinal, não são grandes defensores da "Terra Parada", do "fique em casa"? Não são "resistência" a este governo "genocida" que quer deixar o povo trabalhar? Querem dinheiro pra que?

Seria no mínimo incoerência se o governo continuasse liberando recursos para "projetos culturais" que não podem acontecer.

Se os "trabalhadores da cultura" não podem trabalhar, que façam como MILHÕES de brasileiros que também estão impedidos de levar o sustento para suas casas: Solicitem o auxílio emergencial. É bem menos. Eu sei. Nem chega perto das cifras pornográficas que recebiam nos governos passados. Mas se são "do povo", gente como a gente, devem conseguir sobreviver. Parou o "mimimi"!

"É divertidíssima a esquizofrenia de nossos artistas e intelectuais de esquerda: admiram o socialismo de Fidel Castro, mas adoram também três coisas que só o capitalismo sabe dar: Bons cachês em moeda forte; ausência de censura e consumismo burguês; trata-se de filhos de Marx numa transa adúltera com a Coca-Cola." (CAMPOS, Roberto)

Fonte: Jornal da Cidade Online

Postar um comentário

0 Comentários