Construtora é condenada a devolver dinheiro e a indenizar cliente por atraso em entrega de imóvel

Ticker

6/recent/ticker-posts

Header Ads Widget

Construtora é condenada a devolver dinheiro e a indenizar cliente por atraso em entrega de imóvel



A construtora Santa Beatriz Empreendimento Imobiliários Ltda. foi condenada nesta segunda-feira (12), pela 7° Vara Cível e de Acidentes de Trabalho, a pagar R$ 5 mil por danos morais, com devolução integral de valores de contrato e a quebra de aquisição de imóvel. O cliente entrou com ação judicial, alegando atraso na entrega da obra.

No trecho da decisão, foi constatado que o autor teve seu nome negativado, devido ao atraso na entrega do imóvel.

A Terceira Câmara Cível rejeitou recurso de empresa do ramo imobiliário contra sentença da 7.ª Vara Cível e de Acidentes de Trabalho que julgou parcialmente procedente ação de consumidor para rescindir contrato de aquisição de imóvel, com devolução integral de valores e pagamento de dano moral de R$ 5 mil.

“No caso em análise, é visível a ocorrência de dano imaterial, visto que além do atraso para a entrega da obra o autor ainda teve seu nome negativado passando por constrangimento, angústia, além de sentimento de impotência diante da situação de descaso, assim, entendo não se tratar se mero incômodo. Por tal razão é devida a indenização pelo dano moral”, diz trecho da sentença.

No julgamento em 2.º Grau, a decisão foi unânime, segundo o voto da relatora, Nélia Caminha Jorge, na Apelação Cível nº 0608019-96.2016.8.04.0001, na sessão desta segunda-feira (12/4).

Em sustentação oral, o advogado da parte apelante negou atraso na entrega da obra, disse que a rescisão ocorreu porque o consumidor não conseguiu fazer o financiamento, não havendo responsabilidade exclusiva da construtora, e pediu a reforma da sentença, reconhecendo a inexistência de atraso na entrega, devolução de valor de corretagem e exclusão do dano moral.

Mas, ao ler a ementa, a relatora informou rebater todos os itens abordados pela apelante, como atraso, corretagem, dano moral, responsabilidade da recorrente e injusta negativação do consumidor, rejeitando o recurso, sendo acompanhada pelos demais membros do colegiado.

Fonte: com informações do TJAM


Postar um comentário

0 Comentários