Dione Carvalho pede agilidade na investigação sobre desparecimento de crianças em Manaus

Ticker

6/recent/ticker-posts

Header Ads Widget

Dione Carvalho pede agilidade na investigação sobre desparecimento de crianças em Manaus



O vereador Dione Carvalho (Patriota) fez um discurso contundente, no plenário da Câmara Municipal de Manaus, na manhã desta segunda-feira (24/5), cobrando uma postura diferente dos órgãos de proteção à criança, incluindo o governo do Estado do Amazonas, Polícia Civil, Conselhos Tutelares, quanto aos sucessivos desaparecimentos de crianças nas zonas mais vulneráveis da capital amazonense.

O parlamentar afirmou que somente no último final de semana, três crianças desapareceram sem haver nenhuma informação das famílias. Sumiram em locais próximos as suas residências, e, para a sua revolta, isso fica dentro da “normalidade” para a sociedade. “Eu não consigo entender como o desaparecimento de crianças tem se tornado banal para as pessoas, diariamente somem e nada é feito.”

Classificado como “desaparecimento enigmático” pelas autoridades competentes, o vereador disse acreditar que não teria esse mesmo desfecho se fosse filho de alguém com “patente alta”, e não da Dona Maria, lá da Zona Leste. “Se uma criança de família rica ou conhecida desaparecesse certamente o tratamento seria outro, mas como é da Dona Maria, lá da zona Leste, parece que não tem importância, mas eu vou atrás.”

Dione Carvalho afirmou que vai intensificar as investigações junto às famílias dos desaparecidos, a fim de elaborar um relatório que será apresentado as autoridades competentes, porque segundo ele, “já cansou de esperar ações mais duras no combate as quadrilhas que atuam no Amazonas e nada ser feito”.

O desaparecimento de crianças, na opinião do vereador, faz parte de uma indústria do crime que é comandada por uma organização criminosa, e possui integrantes nas mais variadas áreas, que as exploram sexualmente e também negociam com o mercado de tráfico de pessoas.


Texto: Assesoria de Comunicação do vereador
Foto: Robervaldo Rocha – Dircom/CMM


Postar um comentário

0 Comentários