Conecte-se Conosco

Política

CPI aprova quebra de sigilos de Pazuello e membros de ‘gabinete paralelo’

Publicado

em

Diante da ausência do governador do Amazonas Wilson Lima (PSC) após a decisão da ministra do Supremo Tribunal Federal (STF) que permitiu o não comparecimento do governador à CPI da Covid, previsto para depor hoje, 10, os senadores que integram a comissão decidiram focar em requerimentos para a quebra de sigilos.

O objetivo é obter mais informações sobre o ‘gabinete paralelo’. Entre as informações solicitadas pelo Senado, estão dados sobre ligações telefônicas e conteúdo das mensagens trocadas no WhatsApp (inclusive as armazenadas em nuvens).

Com estas informações, os senadores acreditam que vão obter mais elementos sobre como integrantes do “Ministério da Saúde paralelo” influenciaram na adoção de políticas públicas contra Covid.

‘Gabinete paralelo’

Ao todo, os senadores aprovaram a quebra de sigilo telefônico e telemático de 19 pessoas. Todas envolvidas no “Ministério da Saúde paralelo’. Confira os nomes:

1- Filipe Martins, assessor internacional da Presidência da República;

2 – Ernesto Araújo, ex-ministro das Relações Exteriores;

3 – Eduardo Pazuello, ex-ministro da Saúde;

4 – Zoser Hardman, ex-assessor especial do Ministério da Saúde;

5 – Túlio Silveira, representante da Precisa Medicamentos;

6 – Paolo Zanotto, médico;

7 – Marcellus Campêlo, ex-secretário de Saúde do Amazonas;

8 – Luciano Dias Azevedo, médico;

9 – Hélio Angotti Neto, Secretário de Ciência, Tecnologia, Inovação e Insumos Estratégicos em Saúde do Ministério da Saúde;

10 – Francisco Ferreira Filho, Coordenador do Comitê da Crise do Amazonas;

11 – Francisco Emerson Maximiano, sócio da Precisa Medicamentos;

12 – Francieli Fontana Fantinato, coordenadora do Programa Nacional de Imunização (PNI);

13 – Flávio Werneck, ex-assessor de Relações Internacionais do Ministério da Saúde;

14 – Antônio Elcio Franco Filho; ex-secretário Executivo do Ministério da Saúde;

15 – Camile Giaretta Sachetti, ex-diretora do departamento de Ciência e Tecnologia da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde;

16 – Arnaldo Correia de Medeiros, secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde

17 – Alexandre Figueiredo Costa e Silva Marques, auditor do Tribunal de Contas da União (TCU);

18 – Mayra Pinheiro, secretária de Gestão do Trabalho e da Educação do Ministério da Saúde;

19 – Carlos Wizard, empresário;

Também foram aprovadas as quebras de sigilo bancário e fiscal de três empresas de publicidade e de uma entidade sem fins lucrativos. Todas envolvidas com o governo federal. Veja a lista:

1 – Associação Dignidade Médica de Pernambuco

2 – Empresa PPR – Profissionais de Publicidade Reunidos

3 – Calya/Y2 Propaganda e Marketing

4 – Artplan Comunicação

Conteúdo: O Antagonista

Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado