Conecte-se Conosco

Política

Wilker assina ‘CPI da Asfixia’, após emenda de sua autoria ser aceita para investigar despesas e gastos do Governo durante a pandemia no AM

Publicado

em

O deputado estadual Wilker Barreto (Podemos) assinou nesta quarta-feira, dia 07, o pedido de criação da CPI da Asfixia. O ato do Líder da Oposição veio após uma emenda de sua autoria ser aceita, ampliando a investigação da Comissão e alcançando todos os contratos e gastos feitos pelo Governo desde o início da pandemia da Covid no Amazonas, março de 2020, até o fim das atividades da CPI.

Em seu pronunciamento, Wilker afirmou que a apuração dos contratos firmados pelo Executivo durante a pandemia, bem como todos os atos da atual gestão, é uma resposta que precisa ser dada pelo Parlamento estadual à sociedade amazonense, que teve mais de 13 mil mortes registradas por conta da doença.

“Fico feliz em ter parte do meu pleito acatado pelo delegado Péricles. Precisamos investigar os contratos e o dinheiro que pertence ao povo amazonense e não ao Governo. Já que a CPI da Pandemia foi sucumbida pelo Governo, irei assinar esta outra CPI e já peço que a base não pense muito em assinar também. Esta comissão terá uma responsabilidade enorme com o Amazonas”, ponderou o deputado.

CPI da Pandemia

Antes da CPI da Asfixia, Wilker foi forte defensor da CPI da Pandemia, cujo é coautor.  Diante disso, em seu discurso nesta quarta, o parlamentar voltou a questionar o pedido de uma nova comissão no Parlamento estadual, em menos de 24 horas, que até então, tinha um único fato determinado.

“A CPI da Pandemia apresentou sete linhas de investigação, agora matar a CPI que já tinha sete assinaturas porque um dos sete itens foge ao objeto da pandemia? …Uma CPI não entra no sistema às dez da manhã e passa a ser consenso unânime, em minutos nesta Casa. Me permita a franqueza, eu estou há 12 anos na política”, finalizou Wilker.

Jornalista responsável: Nathália Silveira

Texto: Dayson Valente