Conecte-se Conosco

Polícia

Polícia Federal deflagra operação e amanhece em frente ao Maison Ephigênio Salles, em Manaus

Publicado

em

MANAUS/AM – A Polícia Federal, com apoio da Controladoria-Geral da União, deflagrou, na manhã desta quinta-feira (08/04), a Operação Corredeira Inflamável, cujos objetos investigados são fatos relacionados a possíveis práticas dos crimes de fraude em licitação, peculato e associação criminosa, em contrato de fornecimento de combustíveis para Prefeitura Municipal e Secretarias Executivas de Presidente Figueiredo/AM no ano de 2019.

A ação da Polícia Federal visa a cumprir 10 (dez) mandados judiciais de busca e apreensão e 04 (quatro) de prisão temporária expedidos pela 2ª Vara Criminal da Justiça Federal do Amazonas, cumpridos na cidade de Manaus/AM e de Presidente Figueiredo/AM.

Segundo as investigações, apesar de ter sido uma exigência do contrato a instalação de tanques de combustível na sede do município, apurou-se que a empresa contratada não possui posto de gasolina, tampouco licença para operar no município de Presidente Figueiredo/AM, tendo subcontratado toda a prestação de serviços.

Além de ter terceirizado o serviço de fornecimento de combustível, constatou-se um superfaturamento de R$ 3.932.599,70 (três milhões, novecentos e trinta e dois mil, quinhentos e noventa e nove reais e setenta centavos) pelo pagamento por combustíveis em quantidade superior à efetivamente consumida.

Identificou-se, também, a simulação de uma concorrência no bojo da licitação, notadamente porque a empresa vencedora do certame beneficiou a outra licitante com a transferência de R$ 249.509,68 (duzentos e quarenta e nove mil reais e sessenta e oito centavos). Há indícios, ainda, de que a empresa contratada, à medida que recebia os pagamentos da Prefeitura Municipal, desviava tais valores a determinados grupos
empresariais.

Os investigados poderão responder, na medida de suas responsabilidades, pelos crimes de fraude em licitação (art. 90 da Lei nº 9.866/93), peculato (art. 312 do Código Penal) e associação criminosa (art. 288 do Código Penal). Se condenados, poderão cumprir pena de até 12 anos de reclusão.

Comunicação Social Superintendência Regional da Polícia Federal no Amazonas

Maison Ephigênio Salles

Os agentes federais deixaram o prédio do condomínio Mayson Ephigênio Salles, na Zona Centro-Sul, com vários documentos apreendidos que foram colocados em dois malotes. 

Vejam a Nota da PF

Nota-a-Imprensa-PF-INVESTIGA-DESVIO-DE-RECURSOS-PUBLICOS-NO-MUNICIPIO-DE-PRESIDENTE-FIGUEIREDO-AM-4