Conecte-se Conosco

Nacional

Datafolha: reprovação de ministros do STF sobe e atinge 33%

Publicado

em

Plenário do Supremo Tribunal Federal (STF). (Foto: Nelson Jr./SCO/STF)

Pesquisa Datafolha divulgada nesta segunda-feira 12 mostra que a reprovação aos ministros do Superior Tribunal Federal (STF) voltou a crescer.

O levantamento do instituto revelou que 33% das pessoas entrevistadas consideram o desempenho dos ministros do STF ruim ou péssimo, enquanto 24% avaliam a atuação como boa ou ótima. Já para 36%, a avaliação é regular e 7% não souberam responder.

De acordo com o jornal Folha de S.Paulo, quando o tema foi abordado em uma pesquisa anterior, de agosto de 2020, 29% reprovavam o desempenho dos ministros e 27% avaliaram o trabalho como bom ou ótimo.

Essa diferença de quatro pontos entre as duas pesquisas representa o limite máximo da margem de erro. Assim, existe uma situação de estabilidade improvável na prática.

Na última quarta 7 e quinta-feira 8, 2.074 pessoas de 146 municípios brasileiros foram ouvidas, de maneira presencial, pelo Datafolha. O nível de confiança da pesquisa é de 95%, tendo margem de erro de dois pontos percentuais, tanto para mais quanto para menos.

Diversos fatores podem ter causado alteração nas porcentagens das pesquisas. Em março deste ano, por exemplo, o STF decidiu rever processos envolvendo o ex-presidente Lula (PT), réu relevante da Operação Lava Jato e condenado por corrupção confirmada em três graus do Judiciário.

As sentenças contra Lula nos casos do triplex e o sítio em Atibaia foram anuladas pelo ministro Edson Fachin. De acordo com o ministro, a Vara Federal de Curitiba não tinha atribuição apropriada sobre esses processos.

Logos depois, a Segunda Turma da corte considerou o ex-juiz Sergio Moro suspeito em sua atuação no governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

O plenário do tribunal aprovou essas duas medidas posteriormente. Assim, o ex-presidente conseguiu recuperar seus direitos políticos e pode disputar as próximas eleições presidenciais.

Apoiadores de Bolsonaro A pesquisa mostra que entre os apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) a porcentagem de reprovação dos ministros sobe para 49%.

Essa rejeição também é alta quando considerados os entrevistados homens (37%), com escolaridade de nível superior (41%) ou aqueles que não pretendem se vacinar contra o novo coronavírus (46%).

A região Sul também tem rejeição maior aos ministros, de 37%, enquanto o Nordeste tem rejeição de 30%.

Já número de avaliação boa ou ótima aumenta quando considerado entrevistados com escolaridade de nível fundamental (27%), assalariados sem registro (28%) ou aqueles que têm o PT como partido de preferência (31%).

Fonte: AgoraRN