Conecte-se Conosco

Cidades

Atividades diversificadas marcam os 31 anos de ECA nas escolas da prefeitura

Publicado

em

Escolas da Prefeitura de Manaus realizaram atividades em comemoração aos 31 anos do Estatuto da Crianças e do Adolescente (ECA), celebrado nesta terça-feira, 13/7. O objetivo das ações, que foram intensificadas este mês em toda a rede municipal, é informar as crianças e adolescentes sobre a necessidade e urgência da efetivação de todas as políticas públicas que garantam a proteção integral à infância e à juventude. Assim como o direito à educação, saúde, assistência, cultura, esporte e lazer.

A Semed trabalha de forma transversal o Estatuto da Criança e do Adolescente nas unidades de ensino. Desde 2004, o ECA já está inserido na proposta curricular e é trabalhado o ano todo, com as ações fortalecidas no mês de julho.

A assessora técnica da Gerência de Atividades Complementares e Programas Especiais (Gacpe) da Semed, Eliana Hayden, que trabalha com a temática na rede municipal de ensino há mais de 20 anos, destacou a importância do trabalho realizado com os alunos e pais.

“Em relação à educação, a gente vem trabalhando há mais de 17 anos nas escolas, para que as crianças compreendam o que é o ECA e que há direitos e deveres. O ECA é de responsabilidade de toda sociedade, do poder público, das comunidades e dos familiares. Todos nós que estamos à frente de um trabalho com criança e adolescente, precisamos conhecer o ECA, porque não dá para errar com esse público. A gente tem que cuidar e proteger e garantir que todos os direitos sejam assegurados”, comentou.

Nesse período, as escolas trabalham o tema por meio de várias metodologias como produção de textos, desenhos artísticos, rodas de conversas, musicais, estudo do ECA, teatro, debates on-line e presenciais, elaboração de listas de violação dos direitos humanos de crianças e adolescentes e outros de acordo com cada escola e modalidade de ensino. A campanha abrange todas as escolas da rede, incluindo as creches e os Centros Municipais de Educação Infantil (Cmeis), do ensino fundamental, anos iniciais e anos finais, e Educação de Jovens e Adultos (EJA).

Atividades

A escola municipal Padre José de Anchieta, bairro da Betânia, zona Sul, envolveu os 250 alunos, da educação infantil e do 1º ao 5º ano do ensino fundamental, com uma programação contendo atividades realizadas com vídeos, pintura, montagem da árvore dos direitos e deveres, entre outras ações. A gestora Fernanda Dácio Teixeira, ficou satisfeita com o trabalho realizado com os alunos.

“A escola garante que os alunos saibam e entendam os direitos que eles têm. É importante que, por meio das informações que nós passamos sobre os direitos, eles saibam e até cobrem dos pais sobre isso. Por exemplo, sobre a questão do abandono escolar, que a está dentro do ECA e a gente explica isso”, citou.

Com dramatização em sala de aula do tema em cartazes e vídeos, visitação das turmas ao painel informativo sobre a temática, entre outras atividades, o Cmei Elza Damasceno da Silva, bairro Santo Antônio, zona Oeste, foi outra unidade que movimentou os alunos sobre a temática. Para a agente de saúde escolar Maria de Lourdes Magalhães, responsável pela programação, o ensinamento começa desde cedo.

“A gente faz um trabalho um pouco diferenciado, por serem muito criancinhas, mas de forma que consigam entender o que é o Estatuto da Criança e do Adolescente e a campanha da exploração sexual infantil. A gente fala e ressalta muito os direitos das crianças, mas a gente resume com imagens ilustradas que são mostradas aos alunos explicando sobre o tema. Dessa forma, a gente também passa informações aos pais por meio de um vídeo”, concluiu.

ECA

A educação é um direito primordial do ECA, de acordo com os artigos 227 da Constituição Federal de 1988, regulamentada no artigo 4º, do Estatuto da Criança e do Adolescente, que normatizou a proteção integral como responsabilidade de todos, bem como a lei nº 9.394/1996, em seu artigo 32, parágrafo 5º, que trata da inserção de crianças e adolescentes, instituído pela lei federal n° 11.525/2007.

Texto – Paulo Rogério / Semed
Fotos- Cleomir Santos / Semed