Conecte-se Conosco

Entretenimento

Yudi Tamashiro relembra fama condena o próprio passado: “saía do trabalho emendava um put*”

Publicado

em

O apresentador Yudi Tamashiro, de 28 anos, decidiu interagir com seus fãs e respondeu algumas dúvidas e curiosidades através de seu perfil no Instagram. Questionado sobre se “ir a festas é pecado”, ele disse que depende, e deu exemplos. As informações são do Portal O Canal.

“Ué, depende da festa né?! Você ficar indo pra casa de swing, aí você já tá extrapolando né amigão”, respondeu o ex-SBT, que nos últimos anos tem promovido sua vida como cristão fervoroso.

Em outro momento, quando questionado sobre “ir pra noitada” só pra escutar um som”, Yudi decidiu citar sua trajetória com exemplo. De acordo com ele, passou por um longo período sem sair de casa.

Porém, após um tempo, ele sentiu a necessidade de ir “pra esses lugares”, mesmo que fosse para mostrar sua “mudança” para os amigos, e tentar trazê-los de volta para “os braços do pai”.

“Fiquei um bom tempo sem sair, sem encontrar os amigos da noitada. Foi um preparo. Fui me fortalecendo, conhecendo mais a palavra”, contou Yudi Tamashiro.

“Chegou o momento que senti no meu coração que precisava ir pra esses lugares, até mesmo mostrar minha mudança pros meus amigos, e trazer eles pra esse lado, pros braços do pai”, disse ainda o famoso.

“Esse foi o meu caso. Mas vai muito dos lugares que você frequenta também”, declarou o artista, ressaltando que é preciso “vigiar sempre”. “É difícil, mas essa é minha missão”, completou.

Yudi Tamashiro conta que já foi a casas de swing

Conhecido por ter apresentado o “Bom Dia & Cia”, programa infantil das manhãs do SBT, o rapaz comentou sobre o impacto que ter ficado famoso muito cedo trouxe em sua vida.

Em entrevista ao Flow Podcast, contou que chegou a faturar até R$ 80 mil por mês, e a fama acabou subindo à cabeça.

“Eu saía do trabalho emendava um put** (prostíbulo) para almoçar. Aí eu chegava lá e mais conversava com as garotas do que fazia (sexo). Eu queria dividir coisas que eu não podia dividir com outras pessoas”, revelou.

“E aí era o contrário. Normalmente as prostitutas conversam com a gente, né? Conversando, eu ficava louco, emendava uma balada. Se não arrumasse nenhuma mina na balada, saía para a casa de swing”, continuou.

“E da casa de swing levava umas meninas para a minha casa. Ou então ia virado (trabalhar). Com 18 anos, você tem pique de ficar três dias virados”, disse ainda o apresentador na época.

Fonte: AgoraRN